Distinção da American Ceramic Society (ACerS) para o brasileiro Edgar Zanotto: eleito “fellow” da sociedade.


O professor Edgar Dutra Zanotto. Crédito: Enzo Kuratomi/ UFSCar.

O professor da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Edgar Dutra Zanotto, um dos fundadores da SBPMat e pesquisador na área de Materiais há cerca de 40 anos, foi eleito fellow da American Ceramic Society (ACerS) – uma distinção outorgada anualmente a alguns poucos sócios.

O status de fellow é um reconhecimento dado a um sócio por seus pares da ACerS. De fato, os fellows da ACerS são escolhidos entre os quase 10.000 sócios da sociedade, localizados em cerca de 70 países, num processo de indicação e eleição do qual participam sócios, fellows e, na aprovação final, diretores da ACerS. Para ser eleito fellow, o sócio deve ter feito contribuições notáveis à ciência ou arte da cerâmica. No caso dos cientistas que atuam no meio acadêmico, a produção científica e tecnológica é um dos principais pontos considerados na eleição.

O professor Zanotto conta atualmente com mais de 5.500 citações e um índice H de 40, segundo o Google Scholar. Entre outras posições que ocupa, é diretor do Center for Research, Technology and Education in Vitreous Materials (CeRTEV) e editor do Journal of Non-Crystalline Solids.

A eleição dos novos fellows da ACerS será comemorada no banquete de prêmios e distinções do 118 º encontro anual da sociedade, no dia 24 de outubro deste ano em Salt Lake City, Utah, nos Estados Unidos.

Report of the XIV SBPMat Meeting: plenary lectures with their files, memorial lecture, symposia, awards…


OPENING CEREMONY

Sunday, September 27. By 6:45 pm. Hundreds of people enter the plenary room of the Convention Center “SulAmérica”, in Rio de Janeiro (Brazil) for the opening ceremony of the 14th annual meeting of the Brazil Materials Research Society, whose acronym in Portuguese is SBPMat. The opening table is composed by the chairmen of the event, Prof. Marco Cremona (Brazil) and Prof. Fernando Lázaro Freire Junior (Brazil), as well as the present SBPMat president, Prof. Roberto Mendonça Faria (Brazil), the immediate past president of the European Materials Research Society (E-MRS), Prof. Rodrigo Martins (Portugal), and the general secretary of the International Union of Materials Research Societies (IUMRS), Prof. Robert Chang (USA). Behind them, a big banner shows the logos of dozens of institutions and companies that gave financial support to the event.

At the opening table, from the readers´ left: Prof. Rodrigo Martins (Portugal, E-MRS immediate past president and IUMRS officer), Prof. Fernando Lázaro Freire Junior (Brazil, chair of the event), Prof. Marco Cremona (Brazil, chair of the event), Prof. Roberto Mendonça Faria (Brazil, SBPMat president), and Prof. Robert Chang (USA, IUMRS general secretary).

Near 1,000 attendants are present at the ceremony, which starts with the Brazilian national anthem. The chair Prof. Cremona welcomes the participants to the meeting. Prof. Robert Chang, who was president of MRS (Materials Research Society) in 1989 and founded IUMRS in 1991, convokes the participants of all countries to try to solve together the most important global challenges for materials research, related to health, food, environment, transport etc. Representing E-MRS, Prof. Martins, who presently takes care of Global Leadership and Service Award at IUMRS, emphasizes his desire of promoting international connections. Prof. Faria talks a little bit about Brazil, which, as well as other developing countries, is very rich in raw materials but needs to add value to its products by means of science and technology.

After the opening, Prof. Eloisa Biasotto Mano (Brazil) goes to the stage for the Memorial Lecture “Joaquim da Costa Ribeiro“, which is a distinction bestowed annually by SBPMat on a Brazilian researcher with outstanding career in the field of Materials. This 91-year-old scientist pursued international scientific education at a time when most women were illiterate in Brazil, and founded in the Federal University of Rio de Janeiro (UFRJ) the first research group in polymers in the country. This group later became the Institute of Macromolecules (IMA), which was directed by Eloisa until she retired. In the memorial lecture, she talks about macromolecular materials and, using a representation of a polyethylene molecule made by herself with wire, she shows how these kind of molecules behave in response to their big size. A group of Prof. Eloisa´s disciples (among them, the present director of IMA) assists her with the presentation, showing affection, gratitude and admiration for her . After the talk, many attendants of diverse ages make a queue to take a picture with this protagonist of the dawn of polymer science in Brazil. Eloisa, who is professor emeritus of UFRJ, poses for all the pictures she is ask to. At the end of the photo session, she accepts our microphone and leaves a message for the young people starting a carreer in science:

Right after the memorial lecture, in the same venue, the participants enjoy the welcome cocktail while meeting friends and collaborators. The cocktail is animated by live “chorinho” music, an instrumental Brazilian popular genre original from Rio de Janeiro.

———————————————————————————————————-

PLENARY LECTURES

Nader Engheta

Monday, September 28. At 8:30 in the morning, the plenary room is full of attendants waiting to learn about metamaterials and the extreme behavior of waves interacting with them in the first plenary lecture of the event. The speaker is Nader Engheta, the H. Nedwill Ramsey Professor of Electrical and Systems Engineering at the University of Pennsylvania (United States). This Iranian-born scientist is a recognized world leader in research on metamaterials, and holds an H number of 69. Through experimental and theoretical research, Engheta and his collaborators have created such unconventional things as nanocircuits made of metamaterials that function as optical filters. Since the beginning of the talk, Engheta captivates the audience with some history of science and with a world of structures created by using particular composite metamaterials with particular sizes and geometries and arranged in particular ways with the aim of obtaining unconventional interaction with light and other waves.

————————————————————————————————————————————————————————–

Edgar Zanotto.

In the afternoon, at 3:30, more than 400 people attend the second plenary lecture, which is about glass-ceramics (materials formed through controlled crystallization of certain glasses). The speaker is the Brazilian researcher Edgar Zanotto, Professor at the Federal University of São Carlos (UFSCar), in Brazil, where he founded and heads the Vitreous Materials Laboratory (LaMaV) that assembles a big international team. Zanotto, who is a world-renowned expert on glass-ceramics, presents in his lecture many useful applications of these materials, such as cooking hobs or artificial bones and teeth. He also mentions the scientists who, along 60 years of glass-ceramics history, contributed to the advancement of research on that topic. In spite of those contributions, the comprehension of some aspects of the formation of glass-ceramics is not complete, he says, but that is not a problem for glass-ceramics fabrication and applications. It´s just an opportunity for fundamental scientists.

————————————————————————————————————————————————————————-

Paul Ducheyne. Biomaterials. Merging Materials Science with Biology.

Tuesday, September 29. 8:30 am, time for the third plenary lecture of the event. The lecturer, Prof. Paul Ducheyne, also comes from University of Pennsylvania (USA), where he directs a multidisciplinary center for bioactive materials and tissue engineering research. An authority on biomaterials field, Ducheyne is the editor in chief of a six-volume book on biomaterials published in 2011. In the talk, he shows a series of biomaterial-made devices, grafts, scaffolds etc., most of them already being commercialized, that actively interact with the body, either by promoting tissue formation (for example, bone) or by releasing drugs for diverse treatments. Ducheyne presents their effects on solving health problems, numbers about their markets, and scientific recent advances that can make them even more effective.

—————————————————————————————————————————————————————————–
Ulrike Diebold. Surfaces of Metal Oxides.

Some hours later, at 3:30 pm, hundreds of participants cluster again, this time around Prof. Ulrike Diebold, whose research group at UT Wien (Austria) is devoted to the understanding of fundamental mechanisms and processes occurring in surfaces at the atomic scale. Prof. Diebold catches the audience attention from the beginning to the end by showing, through scanning tunneling microscopy images, how she spies the behavior of atoms on the surface of metal oxides – topic in which she is a worldwide leader researcher. In particular, she reveals two secrets of metal oxide surfaces: the first one about how oxygen adsorbs on titanium dioxide and the second one about how active single metal atoms are in oxidation process in magnetite.

—————————————————————————————————————————————————————————-
George Malliaras.

Wednesday, September 30. In the plenary lecture of the morning, the audience is transported again to the social-impacting world of biomaterials by Prof. George Malliaras, Greek-born, working at École Nationale Supérieure des Mines de Saint-Étienne (France), where he heads the Department of Bioelectronics. Malliaras has an H index of 64. After many years working on organic electronics, he entered the new field of organic bioelectronics and obtained impacting results. His research is about electronic devices made of conducting polymers that match properties of living tissues. These devices are used for interfacing with human brain – a “natural electronic device”. The final purpose is to study brain activity or diagnose and even treat neurological diseases such as epilepsy. An example of device is a transistor that enables boosted in vivo recording of brain activity with low invasion. As suggestions for the materials community, Malliaras highlights the importance of collaboration with neuroscientists and physicians and the challenge of improving the understanding of electronic transport and structure.

————————————————————————————————————————————————————————–

Ichiro Takeuchi. Combinatorial Approach to Materials Discovery.

In the talk of the afternoon, the speed of science progress accelerates following the beat of the combinatorial approach. Prof. Ichiro Takeuchi, from University of Maryland (USA), explains how his group manages to optimize materials and properties discovery. As well as in lottery one can buy a big number of tickets to have more chances to win a prize, in materials discovery scientists can produce a huge number of combinations of elements to obtain a compound with desirable properties. For example, for quaternary compounds, millions of combinations are possible, from which only 0,01 % are known. In Prof. Takeuchi´s lab, machines for thin film deposition used with masks work night and day to create patchwork-like samples containing libraries of similar compounds. Then, the libraries are characterized by rapid tools, giving information about the properties of several compounds at the same time. Coupled with appropriate theory and computational simulations, these high-throughput experiments become real materials discovery engines.

————————————————————————————————————————————————————————
Claudia Draxl. On the Search of Novel Materials: Insight and Discovery though sharing of big data.

Thursday, October 1st, 8:30 am. In the last plenary lecture of the event, Prof. Claudia Draxl (Humboldt University, Germany) publicly wonders how to make available the huge amount of data resulting from experiments around the world, high-throughput screening, computer clusters etc. Why to do that with scientific data? For confirmation, broad dissemination in society, sharing with distant collaborators and reuse with new purposes. With that aim, Prof. Draxl and collaborators from European countries are facing the development of a repository of materials raw data, called Novel Materials Discovery (NoMaD), which hosts, organizes and shares materials data on the web.

————————————————————————————————————————————————————————————

SYMPOSIA SESSIONS

The symposia at SBPMat annual meetings are selected from proposals that can be submitted to the event committee by any scientist from anywhere in the world. This edition of the event encompassed 26 symposia (including the satellite event “8th International Summit on Organic and Hybrid Solar Cells Stability”) and 2 workshops, and it registered symposia coordinators from Argentina, Denmark, England, France, Germany, Italy, Ireland, Japan, Portugal, Spain, Swiss, USA, and, of course, Brazil. Within the symposia, near 190 invited speeches and more than 2,000 technical works are presented and discussed in oral and posters sessions, on a wide range of subjects going from carbon nanostructures to biomaterials, from characterization techniques to computer simulation, from materials for sustainable development to safe use of nanomaterials.

While some symposia have been held year after year in the SBPMat meeting, the University Chapters symposium was a novelty of this year meeting. It was completely organized by students from diverse points of Brazil who are coordinators of the SBPMat University Chapters. The chapters are organized teams, affiliated with the society, composed of graduate and undergraduate students working in materials field. The members of these groups carry out diverse activities that complement their academic education. The students from the existing chapters, which were eight in number up to the moment of the meeting, faced the challenge of organizing a symposium – a task that is usually done by senior researchers.

In fact, students have not only active but also massive participation in the XIV SBPMat meeting. Almost half of the attendants (950 people) were master, doctoral and even undergraduate students doing research on materials field. In Brazil, the federal agency for research support, CNPq, has a program called “scientific initiation” that grants scholarships to undergraduate students to conduct research under the supervision of a Professor.

For the oral sessions of the symposia, all along the meeting, after the morning plenary session, and before and after the afternoon plenary talks, the attendants distributed themselves among 17 rooms. The poster sessions took place at the end of the afternoon from Monday to Wednesday and in the morning on Thursday. Walking through the long corridors of the poster sessions, one could see active scientific discussion, many times between a young author and a renowned researcher. One could also hear very positive comments about the original arrangement of the poster panels. The size of the poster session was impressive. In total, near 1,800 research works were presented in the posters.

View of the first poster session.

———————————————————————————————————————————————————————————

EXHIBITION

Twice a day from Monday to Wednesday, the attendants could take a break and have a coffee with cookies while visiting the exhibition of the event, which encompassed 32 stands showing a variety of scientific instruments, services, scientific journals, books and opportunities for the materials community. In addition, on Wednesday, the participants had the opportunity to attend four hours of technical talks given by some expositors about fabrication and characterization techniques.

Coffee break and exhibition.

 ——————————————————————————————————————————————————————————

CLOSING AND AWARDS CEREMONY

On Thursday by 12:30 the closing ceremony started. In the closing panel, Prof. Soo Wohn Lee, from MRS Korea and conference chair of the IUMRS-ICAM 2015, joined the representatives of SBPMat, E-MRS and IUMRS.

The meeting chair Prof. Cremona presented some photos of the past days and hours that made the public remember so nice and fruitful moments. He also presented the numbers of the event: 2,000 registered people from 985 institutions, among which 300 were foreign researchers from 40 countries. Finally, he announced that the next SBPMat annual meeting will be held in Campinas city (São Paulo state).

After the closing words, more than 20 prizes were given to young researchers within four different awards: the Bernhard Gross Award, a traditional SBPMat recognition for the best works of students, and the awards bestowed by IUMRS, E-MRS and Horiba.

Announcement of the students who won the Bernhard Gross Award.

See list of the awards winners.

CeRTEV endeavors a great effort towards glass education and networking.


The São Paulo Advanced School on Glasses and Glass-ceramics, organized by the Center for Research, Technology and Education for Vitreous Materials (CeRTEV) of the Federal University of São Carlos (UFSCar) was held during August 1-9, 2015, in São Carlos, SP, Brazil. It counted on generous financial support from the São Paulo Research Foundation (FAPESP), the Department of Materials Engineering (DEMa-UFSCar), the Institute of Physics (IFSC)-USP, Brazil, and Owens-Illinois, USA.

The School was widely advertised during 2 months at CeRTEV´s email list of glass researchers, at Klaus Bange´s email list, and on key web sites related to glass research: American Ceramic Society, Society of Glass Technology, International Comission on Glass, Linkedin (glass research and technology groups), Brazilian Ceramic Society, Brazilian Physical Society, FAPESP, SBPMat (Brazil-MRS), as well as in some journals: Nature, ACerS Ceramic Bulletin, and Glass International.

The participants were selected among hundreds of applicants from around the globe. The selection criteria included a thorough analysis of their CVs, recommendation letters, and the scientific standing of their current research group. The large number of applications and the outstanding quality of many of them made this process quite difficult. In the end, approximately 100 highly qualified students from 19 countries were accepted. Among the  international participants were 12 from the US, 8 from France, 7 from Germany, 6 from India, 3 from Italy, 3 from Colombia, 3 from Russia, 3 from China, 2 from Canada, 2 from Argentina, 2 from Turkey, 2 from the Czech Republic, and one each from Spain, Finland, Korea, Japan, UK, Portugal and Tunisia, plus about 40 students from Brazil. Twenty extra guest students and professors were allowed to attend the classes. The organizers covered the travel, meals and accommodation expenses of most of the selected PhD students and instructors.

The school program covered several key, state-of-the-art, topics on glass and glass-ceramics, ranging from structural characterization to relaxation,  thermodynamics, crystallization, and properties. The program comprised 11 lectures of 2 hours each, and 3 tutorials about the powerful SciGlass database/software – with a free user license for all the attendees during the School days.

The first day started with an overview of the school objectives and the overall plan (delivered by Prof. Edgar D. Zanotto). The second day started with a “fire” session, where the students had a 1 minute to “sell” the highlights of their PhD research work and poster. In the next day, the school was opened with Professor Hellmut Eckert´s lecture on “Glass structure by NMR techniques”, followed by a lecture by Prof. P.S. Pizzani entitled “Glass structure by Raman spectroscopy”. In the afternoon, the students were assembled into groups of five and a challenge was proposed: to develop – under the guidance of an assigned tutor – an original proposal for a postdoctoral research project on a topic related to glass or glass-ceramics, to be presented at the end of the school, as a requirement for their final “diploma”. This day ended with a practical tutorial of SciGlass, coordinated by Dr. Alex Priven. On the fourth day, the school started with Professor Prabhat Gupta´s lecture on “Structural and stress relaxation in glasses”, followed by Prof. J.P. Rino´s lecture on “Dynamic processes in glass by MD simulation”. After lunch, Prof. Zanotto presented the lecture “Nucleation, growth and crystallization of glasses”, which was followed by another SciGlass tutorial session. The fifth day started with a lecture on “Optical properties of vitreous materials” delivered by Prof. Ballato followed by Prof. A. S. S. de Camargo´s lecture “Spectroscopic techniques applied to glasses and glass-ceramics”. In the afternoon the students had a guided visit to several laboratories of the Physics and Materials Engineering Departments of UFSCar. Lectures on “Mechanical properties of glasses” (Prof. V. Sglavo, Italy) and “Mechanical properties of glass-ceramics” (Prof. F. Serbena, Brazil) were presented on the sixth day of the school.  After lunch, the students attended the final tutorial class on SciGlass and presented the main results of their PhD work in a 2-hour poster session. On Friday, the 7th day, Prof. A. Ghosh delivered his lecture on “Electrical properties of vitreous materials”. After this lecture, the students were invited to visit the laboratories of the Physics Institute of the University of São Paulo (USP). The afternoon was dedicated to the final discussions about the postdoctoral projects.  The 8th day started with the presentations of Prof. Peitl, Marina Trevelin, Clever Chinaglia (all from CeRTEV (Brazil) and Murilo Crovace on “Bioactive glasses and glass-ceramics”. After this presentation, Prof. Osvaldo N. Oliveira Junior gave an overview of FAPESP`s funding opportunities for young researchers’ projects. Profs. Zanotto´s and Eckert´s talks on research opportunities at CeRTEV finished the morning talks. The remainder of the day was dedicated to working on the students´ research proposals, which were then defended during the final day of the conference. All the 18 presentations were of very high quality and very interesting research ideas were proposed. Many professors and attendees commented that they will likely build on some of these ideas in their own future research! The school ended with Prof. Zanotto´s and Eckert´s farewell speeches and acknowledgements.  The lectures and other information can be downloaded from http://www.certev.ufscar.br/g-cc-brasil.

The vast majority of received feedback indicates that the school was a great success and should be repeated. This was likely one of the largest short courses focusing on glass education worldwide. We are confident that the attendees have benefitted greatly from the information and perspectives presented at this school and that they will return home to their on-going research projects with inspiration and new ideas. We hope to remain in touch with these future leaders in academic and industrial glass research, to develop collaborations and joint research projects with them and their advisors in the future.

M. R. B. Andreeta, A. C. M. Rodrigues, E. D. Zanotto and H. Eckert

CeRTEV (www.certev.ufscar.br), São Carlos, SP, Brazil

Boletim da SBPMat – edição 33.


 

Saudações %primeiro_nome%!

Edição nº 33 – 5 de junho de 2015 

Notícias da SBPMat: XIV Encontro - Rio de Janeiro, 27/09 a 01/10 de 2015 

Autores: O prazo para submissão de resumos para os 27 simpósios e 2 workshops do XIV Encontro da SBPMat foi prorrogado até 15 de junho. Veja as instruções para autores e faça sua submissão.

Inscrições: o período de inscrições com desconto está aberto até 31 de julho. O valor das inscrições inclui participação no evento, program book, recepção de boas-vindas e coffee breaks diários. Saiba mais.

Auxílios Fapesp: doutores do Estado de São Paulo poderão se inscrever, de 16 a 24 de junho, para solicitar recursos à Fapesp para participação no XIV Encontro da SBPMat. Saiba mais.

Proceedings do XIV Encontro da SBPMat: Trabalhos apresentados no encontro poderão ser submetidos à avaliação por pares para publicação em periódicos científicos do IOP. Saiba mais.

Prêmio Bernhard Gross: Os autores que são estudantes podem submeter resumos estendidos de seus trabalhos para participar do prêmio ao melhor trabalho oral e melhor pôster de cada simpósio. Mais informações nas instruções para autores.

Programa: 7 palestras plenárias com cientistas de renome internacional já estão confirmadas. Veja quem são os palestrantes e os resumos de suas palestras.

Hospedagem: Está disponível uma lista de hotéis com condições especiais para participantes do XIV Encontro da SBPMat. Aqui.

Patrocinadores e expositores: 25 empresas já reservaram seu lugar no XIV Encontro da SBPMat. Contato para expositores e demais patrocinadores: rose@metallum.com.br.

Veja o site do evento.

XIV Encontro: entrevistas com palestrantes de plenárias

A professora Ulrike Diebold, da UT Wien (Áustria), falará em nosso encontro sobre superfícies de óxidos metálicos – materiais usados em monitoramento de gases, catálise, anti-corrosão, conversão de energia, pigmentação e muitas outras aplicações. Usando seus microscópios de tunelamento (STM), Diebold consegue investigar, em escala atômica, os defeitos da rede desses materiais. Em entrevista a nosso boletim, ela falou sobre suas principais contribuições no campo dos óxidos metálicos e sobre o poder da técnica de STM para o estudo de superfícies. E deixou um convite tentador para assistir à palestra dela. Veja a entrevista.

Também entrevistamos o professor Edgar Zanotto, da UFSCar (Brasil), que dará uma plenária sobre vitrocerâmicas – materiais formados a partir da cristalização interna de alguns vidros. Desde os inícios de sua carreira científica, Zanotto vem estudando os mecanismos de formação das vitrocerâmicas e desenvolvendo aplicações para elas. Na plenária, o cientista promete falar sobre passado e futuro, inclusive sobre o desenvolvimento de novas vitrocerâmicas e seu uso em novos produtos. Veja a entrevista.

Artigo em destaque 

Em um estudo sobre propriedades magnéticas de filmes finos nanocristalinos, realizado no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), no Rio de Janeiro, uma equipe de cientistas utilizou intensamente a técnica de ressonância eletromagnética de banda larga e a combinou com outras técnicas de análise. As conclusões do trabalho podem contribuir à fabricação de materiais magnéticos para dispositivos miniaturizados. O trabalho foi recentemente reportado no periódico Journal of Applied Physics.  Veja nossa matéria de divulgação.

Gente da nossa comunidade

Entrevistamos Israel Baumvol, professor emérito da UFRGS e criador do Programa de Pós-Graduação em Materiais da UCS. Baumvol encantou-se com as possíveis aplicações da Física na época da graduação. Ao longo de sua carreira, fez significativas contribuições à área de Materiais em diversos temas. Na entrevista, ao falar sobre sua trajetória científica, o pesquisador relata, entre outras histórias, como começou a trabalhar em materiais para a microeletrônica a partir de um convite da IBM para aplicar seus conhecimentos sobre implantação iônica. Aos leitores mais jovens, Baumvol aconselha que, em suas carreiras científicas, sigam o coração, busquem mudanças e novidades e se livrem dos preconceitos sobre os tipos de pesquisa. “A única distinção é entre pesquisa de boa ou má qualidade”. Veja nossa entrevista com o cientista.

Dicas de leitura
Divulgação científica internacional.

  • Alternativas ao silício para dispositivos miniaturizados: nanofitas de grafeno sintetizadas por nova rota (divulgação de paper da Nature Nanotechnology). Aqui.
  • No MIT, vírus são usados para criar materiais com relevantes aplicações (vídeo de palestra TED e outros conteúdos multimídia). Aqui.
  • Equipe de cientistas que inclui um brasileiro “treina” compósito de nanotubos para realizar operações computacionais (divulgação de paper do Journal of Applied Physics). Aqui.
Próximos eventos da área
  • VII Método Rietveld. Fortaleza, CE (Brasil). 6 a 10 de julho de 2015. Site.
  • Escola de Técnicas de Espalhamento de Raio-X (SAXS) e Neutrons (SANS) para Investigação Estrutural de Materiais e Sistemas Biológicos. Rio de Janeiro, RJ (Brasil). 6 a 10 de julho de 2015. Site.
  • São Paulo School of Advanced Sciences (ESPCA) on Recent Developments in Synchrotron Radiation. Campinas, SP (Brasil). 13 a 24 de julho de 2015. Site.
  • XXVI Escola de Inverno de Física da UFMG. Belo Horizonte, MG (Brasil). 13 a 17 de julho de 2015. Site.
  • Advanced School on Glasses and Glass-Ceramics (G&GC São Carlos). São Carlos, SP (Brasil). 1 a 9 de agosto de 2015. Site.
  • Primeira Conferência de Materiais Celulares (MATCEL 2015). Aveiro (Portugal). 7 e 8 de setembro de 2015. Site.
  • XIV Encontro da SBPMat. Rio de Janeiro, RJ (Brasil). 27 de setembro a 1º de outubro de 2015. Site.
  • 8th International Summit on Organic and Hybrid Solar Cells Stability (ISOS-8). Rio de Janeiro, RJ (Brasil). 29 de setembro a 1º de outubro. Site.
  • 13th International Conference on Plasma Based Ion Implantation & Deposition (PBII&D 2015). Buenos Aires (Argentina). 5 a 9 de outubro de 2015. Site.
  • 4th EPNOE International Polysaccharide Conference. Varsóvia (Polônia). 18 a 22 de outubro de 2015. Site.
  • 10th Ibero-American Workshop on Complex Fluids 2015. Florianópolis, SC (Brasil). 25 a 29 de outubro de 2015. Site.
  • 14th International Union of Materials Research Societies – International Conference on Advanced Materials (IUMRS-ICAM 2015). Jeju (Coreia). 25 a 29 de outubro de 2015. Site.
      
Você pode divulgar novidades, oportunidades, eventos ou dicas de leitura da área de Materiais, e sugerir papers, pessoas e temas para as seções do boletim. Escreva para comunicacao@sbpmat.org.br.
Descadastre-se caso não queira receber mais e-mails.

Caso não esteja visualizando corretamente esta mensagem, acesse este link
Encaminhe esta mensagem ao acessar este link .

Entrevistas com palestrantes de plenárias do XIV Encontro: Edgar Zanotto.


Prof. Edgar Dutra Zanotto.

As vitrocerâmicas, descobertas na década de 1950, são materiais produzidos pela cristalização interna catalisada de certos vidros contendo elementos nucleantes, e submetidos a temperaturas de 500 a 1.100 °C. Elas podem apresentar diversas propriedades, que as tornam materiais interessantes para diversas aplicações nos campos da medicina, odontologia e arquitetura, entre outros.

No XIV Encontro da SBPMat, as vitrocerâmicas serão abordadas em uma palestra plenária intitulada “60 years of glass-ceramics R&D: a glorious past and bright future”. O palestrante será Edgar Dutra Zanotto, professor titular da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e diretor do Centro de Pesquisa, Educação e Inovação em Vidros (CeRTEV) um dos 17 CEPIDS da Fapesp.

Zanotto se encantou pelas vitrocerâmicas em 1977, quando acabava de se formar em Engenharia de Materiais pela UFSCar, ao ler o livro Glass Ceramics, de Peter McMillan, da Warwick University (Reino Unido). A partir desse momento, esses materiais e o processo de cristalização necessário para produzi-los passaram a ser foco de seus estudos, tanto em seu mestrado em Física (USP São Carlos), quanto em seu doutorado em Tecnologia de Vidros (Universidade de Sheffield, Reino Unido) e, até o presente, nos projetos de pesquisa e desenvolvimento que realiza junto a seu grupo no Laboratório de Materiais Vítreos (LaMaV), na UFSCar.

“Orquídea”. Imagem de microscopia óptica de cristalização em vidro eutético. Crédito: Vladimir Fokin e Edgar Zanotto (LaMaV-UFSCar).

Edgar Zanotto é autor de uma importante produção em ciência e tecnologia de vidros. São mais de 200 artigos científicos, com aproximadamente 3.500 citações na Web of Science e 5.000 no Google Scholar; 20 capítulos de livros; 17 pedidos de patente; 2 livros e 4 prefácios de livros internacionais. Seu índice H é 34 segundo a Web of Science e 39 segundo o Google Scholar. Zanotto já recebeu 28 prêmios ou distinções de diversas entidades, como International Commission on Glass, American Ceramic Society, Elsevier Publishing Company, The World Academy of Sciences e CNPq. É Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico. Foi chairman de seis dos mais importantes congressos internacionais da área de vidros. Proferiu mais de 110 palestras convidadas e uma dúzia de palestras plenárias em congressos. É editor do Journal of Non-Crystalline Solids.

Segue uma mini entrevista com este plenarista do XIV Encontro da SBPMat.

Boletim da SBPMat: – Quais são suas contribuições mais significativas ou de maior impacto social no tema das vitrocerâmicas? Explique-as muito brevemente e comente o que foi gerado a partir delas (papers, livros, patentes, produtos etc.).

Edgar Zanotto: – Acredito que as contribuições mais significativas do meu grupo de pesquisa refiram-se a testes e melhorias de modelos de nucleação, crescimento de cristais e cristalização total de vidros. Alem disso desenvolvemos e testamos, com sucesso, modelos que descrevem a sinterização com cristalização concorrente de vidros, e várias técnicas de medidas e teorias de processos dinâmicos (fluxo viscoso, relaxação estrutural, difusão e cristalização) em vidros. Os números de papers, patentes e livros gerados a partir dessas pesquisas estão descritos acima.

Imagem de microscopia óptica de autotrincamento de cristais em um vidro isoquímico. Crédito: Valmor Mastelaro e Edgar Zanotto (LaMaV – UFSCar).

Boletim da SBPMat: – Cite alguns produtos feitos com vitrocerâmicas que estejam no mercado e algumas possíveis aplicações que considere promissoras.

Edgar Zanotto: – Ao longo dos últimos 39 anos desenvolvemos vitrocerâmicos de escórias de siderurgia e aciaria, e de vidros reciclados – para aplicação em construção civil e arquitetura – e também materiais mais sofisticados para uso odontológico e médico. Estes serão apresentados na palestra.

Boletim da SBPMat: – Se desejar, deixe uma mensagem ou convite para sua palestra para os leitores que participarão do XIV Encontro da SBPMat.

Edgar Zanotto: – Na palestra pretendo revisar os principais modelos de nucleação e crescimento de cristais em vidros e discutir a aplicabilidade deles ao desenvolvimento de novos vitrocerâmicos. Tudo será ilustrado com figuras coloridas de inúmeros novos produtos. Espero que ela seja interessante e motivadora a estudantes e pesquisadores (teóricos e experimentais) das áreas de Engenharia e Ciência dos Materiais, Física e Química da Matéria Condensada.

Saiba mais:


Centro de pesquisa, tecnologia e educação em materiais vítreos CeRTEV inova em educação a distância internacional.


No próximo dia 19 deste mês, as 15h15, o Cepid – Fapesp CeRTEV (Center for Research, Technology and Education in Vitreous Materials), com sede na UFSCar, São Carlos, dará início a um inovador esquema de ensino e divulgação científica internacional via internet.

Trata-se de atividade inicial num programa em colaboração com o IMI (International Materials Institute for New Functionality in Glass), sediado na Pennsylvania State University e Lehigh University, ambas nos EUA. O IMI é financiado pela National Science Foundation, num programa similar aos Cepids da FAPESP.

Utilizando-se do software Blackboard Collaborate, o professor da UFSCar Edgar Dutra Zanotto, coordenador do Cepid, ministrará a primeira aula sobre vitrocerâmicos, com duração de 75 minutos, para alunos, pesquisadores de universidades e empresas, e professores de vários países cadastrados num curso sobre “glass processing”.

Uma aula teste foi realizada com sucesso na última sexta-feira. Dependendo dos resultados das duas aulas reais, nos dias 19 e 24, esta iniciativa deverá ser incorporada às inúmeras ações de ensino e divulgação científica do Cepid e expandida com vários outros cursos.

Alunos e interessados em ensino e divulgação científica em geral estão cordialmente convidados a assistir a alguns minutos da primeira aula para vislumbrar como funciona essa interessante e inovadora estratégia: http://tinyurl.com/IMI-GlassClass.

Mais informações

Pre-testing for participants: You may test your login as a participant at any time between now and the actual course sessions. We strongly recommend you try out our test site to get familiar with how to log in and the features available on Blackboard Collaborate prior to the first scheduled lecture. It will NOT be possible to sort out any connection problems during the live screening of the lecture. We are reserving two special, assisted log on sessions. During the special sessions below we will have some content posted and will monitor the sessions to address any individual problems or questions.
Monitored Testing Sessions:
Friday, Jan. 16, 2015: 10 AM – 4 PM (EST-USA) and Monday, Jan. 19: noon-5PM (EST).

How to access Blackboard Collaborate

1. Open the link below in your browser http://tinyurl.com/IMI-GlassClass

2. A Blackboard Collaborate window will appear which requests you to enter your name. Please write LAST NAME and AFFILIATION (eg. Smith – Lehigh Uni.)

3. Click the “log in” box. 4. This log in will initiate an automatic download of Java and Blackboard Collaborate (Depending on your security settings you may have to “Allow” this to run).

You may also be asked to Select the connection speed (LAN, Cable, etc)

Professores Zanotto e Pandolfelli empossados membros da Academia Nacional de Engenharia.


Os professores Edgar Dutra Zanotto e Victor Carlos Pandolfelli, membros da comunidade brasileira de pesquisa em Materiais, foram eleitos para o compor o quadro de membros titulares da Academia Nacional de Engenharia (ANE) e tomaram posse, junto a outros 25 engenheiros, no dia 27 de novembro de 2014 no Auditório do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro.

Por meio da eleição de membros titulares, a ANE homenageia e reconhece grandes talentos da profissão, destacando-os como exemplo e fonte de inspiração para as futuras gerações.

Zanotto e Pandolfelli são professores titulares do Departamento de Engenharia de Materiais da Universidade Federal de São Carlos (DEMa – UFSCar).

Edgar Dutra Zanotto.

Edgar Zanotto é engenheiro de Materiais pela UFSCar, mestre em Física pela Universidade de São Paulo (USP) e doutor em Tecnologia de Vidros pela University of Sheffield (Reino Unido). Na UFSCar coordena o Laboratório de Materiais Vítreos (LaMaV), criado por ele em 1977. Entre muitas outras distinções, é Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico e membro da Academia Brasileira de Ciências (ABC), da Academia Mundial de Cerâmica (WAC) e da Academia de Ciências para o Mundo em Desenvolvimento (TWAS). Entre muitos cargos executivos e consultivos, é diretor do CeRTEVE (Center for Research, Technology and Education in Vitreous Materials). Zanotto é bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq – nível 1 A. Ele tem focado seu trabalho de pesquisa em temas relacionados a vidros e vitrocerâmicas. Zanotto é  um dos fundadores da SBPMat.

Victor Carlos Pandolfelli.

Victor Carlos Pandolfelli tem graduação e mestrado em Materiais pelo DEMa – UFSCar e doutorado em Materiais pela University of Leeds (Reino Unido). Entre muitas outras distinções, Pandolfelli é membro do advisory board da World Academy of Ceramics (WAC), membro da Academia Brasileira de Ciências e da American Ceramic Society e  professor visitante da Wuhan University of Science and Technology (China) É coordenador latino-americano da Federation for International Refractories Research and Education (FIRE) uma organização que envolve universidades em diferentes países e empresas líderes na área de refratários. Desde 1993, coordena o Laboratório ALCOA (Aluminum Company of America) na UFSCar. Pandolfelli é bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq – nível 1 A. Entre seus principais temas de trabalho, podem ser citados os materiais cerâmicos para alta temperatura.

Sobre a ANAE

A ANE reconhece que a soberania do país, o bem estar e segurança de sua população, se apoiam crucialmente em uma engenharia competente, inovadora, ética e preocupada com a satisfação das necessidades de todos os estratos da sociedade – à luz da sustentabilidade da civilização e segundo perspectivas globais e de longo prazo.

Para saber mais

Oportunidade: pós-doutorado no Center for Research, Technology and Education in Vitreous Materials (CeRTEV), em São Carlos.


Estamos selecionando candidatos a duas bolsas de pós-doutorado para a realização de pesquisa fundamental ou aplicada no Center for Research, Technology and Education in Vitreous Materials (CeRTEV) em São Carlos, Brasil. O período das bolsas é de dois anos, com início em janeiro de 2015, renovável por mais dois anos, mediante consentimento mútuo.

O CeRTEV resultou de esforço conjunto da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Universidade de São Paulo (USP) e da UNESP, visando a realização de investigação fundamental e aplicada na área de vidros funcionais e vitrocerâmicas. O centro é composto por 14 docentes / pesquisadores, incluindo especialistas em materiais vítreos e técnicas de caracterização estrutural. A investigação focalizará em novos vidros e vitrocerâmicas e estudos da estrutura / cristalização / propriedades (mecânicas, ópticas, elétricas, catalíticas ou biológicas) para aplicações tecnológicas.

Os candidatos devem ter recebido o grau de doutor em Física, Química, Ciência dos Materiais e Engenharia há menos de 5 anos, e ter um interesse genuíno na condução de pesquisa interdisciplinar em um ambiente internacional. Experiência anterior em ciência do vidro, física do estado sólido ou química é vantajosa. As bolsas mensais (não tributáveis) incluem aproximadamente R$ 6.000 mais de 15% de reserva técnica. Por favor, envie a sua candidatura incluindo CV, lista de publicações, uma proposta de pesquisa de 2-3 páginas, e os nomes e endereços de e-mail de duas pessoas capacitadas a dar referências até o dia 15 de Outubro de 2014 ao  Prof. Edgar D. Zanotto (dedz@ufscar.br).

Professor Edgar Zanotto recebe o título de “Peão da Tecnologia” por suas ações em prol do desenvolvimento de São Carlos.


O professor Edgar Dutra Zanotto. Crédito: Enzo Kuratomi/ UFSCar.

No dia 25 de abril, o pesquisador da área de Materiais Edgar Dutra Zanotto, um dos principais fundadores da nossa SBPMat, recebeu o título “Peão da Tecnologia” da Fundação Parque Tecnológico de São Carlos – ParqTec. Criado em 1993, o título é concedido a pessoas que tenham contribuído significativamente, através de inovação tecnológica, para aumentar a produção, qualidade e competitividade de produtos, processos e serviços nas empresas. A cerimônia, realizada no São Carlos Science Park – Parque Tecnológico de São Carlos, contou com a presença de pesquisadores, professores, empresários e autoridades locais e regionais. Na mesma cerimônia, o professor José Guilherme Sabe também recebeu o título.

Segundo o presidente do Conselho do ParqTec, Irineu Gualtieri, o prêmio foi outorgado aos professores devido a suas ações em prol do desenvolvimento da cidade. “Com pioneirismo e inovação, os agraciados têm contribuído de maneira significativa para a construção da Capital da Tecnologia desenvolvendo pesquisas, implantando projetos e estimulando o surgimento de novas empresas” afirmou Gualtieri. “Os homenageados possuem todas as características de um Peão da Tecnologia. São dinâmicos, estratégicos, inovadores, ativos, transparentes e humanos”, concluiu o presidente do ParqTec, Sylvio Goulart Rosa Jr.

Sobre o professor Edgar Dutra Zanotto

O professor Edgar Dutra Zanotto é engenheiro de Materiais pela UFSCar, mestre em Física pela IFSC – USP e PhD em Tecnologia de Vidros pela Universidade de Sheffield, na Inglaterra. Ele atuou como professor visitante no departamento de Ciência e Engenharia de Materiais da Universidade de Arizona em 1987 e no “college of Optics and Photonics” da Universidade da Florida Central em 2005, ambos nos EUA.

O pesquisador, professor titular do departamento de Engenharia de Materiais da Universidade Federal de São Carlos (DEMa – UFSCar) e membro do Conselho de Curadores do ParqTec, foi o vencedor do Prêmio Almirante Álvaro Alberto para a Ciência e Tecnologia – edição 2012. Zanotto já foi agraciado com mais 25 prêmios, que incluem três dos mais importantes em ciência dos vidros (Zachariasen Award concedido pelo Journal of Non-Crystalline Solids, Vittorio Gottardi Prize pela International Commission on Glass e G. W. Morey Award pela American Ceramic Society).

As atividades de pesquisa do professor e seus colaboradores focam principalmente o tema “cristalização e propriedades de vidros”. O professor e seus colaboradores já publicaram mais de 200 artigos, no Brasil e no exterior, realizaram mais de vinte projetos em parceria com empresas. Zanotto possui ainda 12 patentes depositadas, duas delas premiadas pelo Ministério da Educação (MEC) e pela IBM, e no Concurso Nacional “Prêmio Governador do Estado” – Invento Brasileiro 1996.

Zanotto é pesquisador nível 1A do CNPq, membro da Sociedade de Tecnologia de Vidros do Reino Unido, da Academia Brasileira de Ciências (ABC), da Academia de Ciências do Estado de São Paulo (ACIESP), da Academia Mundial de Cerâmica (WAC) e da Academia de Ciências para o Mundo em Desenvolvimento (TWAS).

O professor Zanotto também atuou como Coordenador Adjunto da diretoria científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), entre 1995 e 2005, com participação ativa na concepção e implantação de diversos projetos de fomento à pesquisa e de divulgação científica. Atualmente ele acumula as seguintes funções administrativas e consultivas: diretor do CEPID-Fapesp (CeRTEV- Center for Research, Technology and Education in Vitreous Materials), supervisor do Laboratório de Materiais Vítreos (LaMaV)-DEMa/UFSCar, editor principal do Journal of Non-Crystalline Solids, secretário da divisão de vidros e materiais ópticos da ACerS (EUA), vice-chair do comitê técnico de cristalização de vidros da International Commission on Glass; membro dos conselhos do International Materials Institute (USA), da ACIESP e do IMPA; diretor da Associação Brasileira de Cerâmica e Curador do ParqTec desde 1984.

(Texto elaborado com base em informações da assessoria de imprensa do ParqTec)

Links relacionados

Entrevista com o pesquisador da área de Materiais Edgar Dutra Zanotto, vencedor do Prêmio Almirante Álvaro Alberto para Ciência e Tecnologia.

Entrevista com o pesquisador da área de Materiais Edgar Dutra Zanotto, vencedor do Prêmio Almirante Álvaro Alberto para Ciência e Tecnologia.


Neste mês de abril foi anunciado o vencedor da edição 2012 do Prêmio Almirante Álvaro Alberto para Ciência e Tecnologia, honraria concedida pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em parceria com a Fundação Conrado Wessel (FCW) e a Marinha do Brasil, para pesquisadores que tenham se destacado pela realização de obra científica e tecnológica de reconhecido valor para o progresso de sua área.

O professor Edgar Dutra Zanotto. Crédito: Enzo Kuratomi/ UFSCar.

O laureado nesta oportunidade é o professor Edgar Dutra Zanotto, um dos fundadores da nossa SBPMat.

Há 36 anos, Zanotto vem desenvolvendo pesquisas na área de Materiais, mais precisamente em temas relacionados a vidros e vitrocerâmicas. As vitrocerâmicas são materiais policristalinos produzidos pela cristalização interna catalisada de certos vidros, cujas propriedades físico-químicas podem ser concebidas pelo controle da composição química do vidro progenitor, do tipo e quantidade de agentes de nucleação e por tratamentos térmicos adequados, que conduzem a nano e microestruturas projetadas. Elas têm múltiplos usos; podem substituir pedras caras e escassas, como mármore e granito, ser usadas em armaduras balísticas e, até mesmo, como dentes e ossos artificiais.

O cientista premiado é autor de 160 artigos publicados em periódicos internacionais indexados, os quais contam com mais de 2.500 citações. Orientou quarenta mestres e doutores e mais de vinte projetos de pós-doutorado. Realizou projetos em parceria com 22 empresas e tem 12 patentes depositadas no Brasil e no exterior.

Zanotto graduou-se em Engenharia de Materiais pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) em 1976. É mestre em Física pela Universidade de São Paulo (USP) e doutor em Tecnologia de Vidros pela Universidade de Sheffield (Reino Unido). Atualmente é professor titular da Universidade Federal de São Carlos, onde coordena o Laboratório de Materiais Vítreos (LaMaV), criado por ele em 1977. É membro titular da Academia Brasileira de Ciências (ABC) desde 1998 e Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico desde 2006. O prêmio Almirante Álvaro Alberto é o mais recente dentre os 25 prêmios que recebeu ao longo de sua carreira.

Segue uma entrevista com o laureado.

Boletim da SBPMat (B. SBPMat): – Conte-nos um pouco sobre sua história: o que o levou a se tornar um pesquisador da área de Materiais?

Edgar Dutra Zanotto (E.D.Z.): – Desde criança sonhava em me tornar um “inventor”. Ingressei por acaso no curso de Engenharia de Materiais na UFSCar em 1972. Em 1976, já no quinto ano do curso, após realizar um estágio de seis meses numa empresa ceramista, decidi seguir a carreira acadêmica e já procurei uma bolsa de iniciação científica.
Minha carreira foi nucleada logo na graduação. Um ponto determinante foi o ingresso na UFSCar, na terceira turma do curso de Engenharia de Materiais, o primeiro na América do Sul. As condições não eram as melhores naquela época e nós tivemos que participar da construção do curso. Mas isso foi muito bom porque nos envolvemos bastante na elaboração e aprimoramento da grade curricular, com inúmeras discussões e críticas construtivas; a situação cobrou uma atitude pró-ativa dos estudantes.
O Laboratório de Materiais Vítreos (LaMaV) da UFSCar começou com a aprovação pelo chefe do Departamento de Engenharia de Materiais (DEMa), Dionísio Pinatti, para que eu iniciasse estudos com materiais vítreos. Cursei o mestrado no Instituto de Física e Química da USP em São Carlos (IFQSC-USP), já pensando no doutorado no exterior. Fui aceito pela Universidade de Sheffield na Inglaterra e procurei aproveitar o doutorado ao máximo, pois já tinha a ideia de montar um grupo de pesquisas na UFSCar. Tudo foi se desenvolvendo aos poucos, com muito esforço.
Atualmente os cursos de graduação e pós-graduação do DEMa são reconhecidos por sua qualidade, tanto no Brasil quanto no exterior. A reputação do LaMaV do DEMa e seus pesquisadores é fruto de trabalho contínuo e muita dedicação. Atualmente, o LaMaV também conta com a ativa participação dos professores Ana Cândida Martins Rodrigues e Oscar Peitl, e do visitante russo Vladimir Fokin. Obrigado colegas!

B.SBPMat: – Na sua própria avaliação, quais são as suas principais contribuições à Ciência e Engenharia de Materiais?

E.D.Z.: – Com o inestimável auxílio de dezenas de coautores, nossa pesquisa tem-se concentrado no estudo e entendimento da cinética de cristalização e propriedades de vidros e vitrocerâmicas.
Os trabalhos de pesquisa fundamental incluem: os efeitos da separação de fases líquidas na nucleação de cristais; testes e desenvolvimento de modelos de nucleação de cristais, crescimento e cristalização; formação de fases metaestáveis; cristalização em superfícies; estabilidade frente à devitrificação espontânea; capacidade de vitrificação de líquidos; correlações entre a estrutura molecular e o mecanismo de nucleação; sinterização com cristalização simultânea, e processos de difusão que controlam a cristalização. Estes foram revistos recentemente na parte I de uma edição especial do International Journal of Applied Glass Science [1]. Alguns desses trabalhos levaram a avanços significativos no desvendamento dos mecanismos de cristalização de vidros óxidos.
Especial impacto na mídia nacional e internacional tiveram dois artigos publicados no American Journal of Physics, no período 1998-1999 [2-3]. Esses artigos desmascararam a lenda urbana de que as vidraças de antigas catedrais são mais espessas no fundo porque o vidro fluiu lentamente ao longo de séculos!
Nossos estudos de natureza tecnológica sobre o desenvolvimento e caracterização de vitrocerâmicas são revistos na parte II da edição especial do International Journal of Applied Glass Science [4].
Nesses artigos, concluímos que, apesar do significativo avanço no conhecimento sobre vários aspectos de transformações de fases – que resultaram de nossas próprias pesquisas e de outros grupos – a cristalização de vidros continua a ser um campo riquíssimo, aberto para ser explorado.

Referências
[1] ZANOTTO, E.D. “ Glass Crystallization Research – A 36-Year Retrospective. Part I, Fundamental Studies”. International Journal of Applied Glass Science – Part I, 2013, in press.
[2] ZANOTTO, E.D. “Do Cathedral Glasses Flow?“. Am. J. Physics 66 (5), 1998, pp. 392-95.
[3] ZANOTTO, E. D. and GUPTA, P. K. “Do Cathedral Glasses Flow? Additional Remarks“. Am. J. Physics 67 (3), 1999, pp. 260-262.
[4] ZANOTTO, E.D. “Glass Crystallization Research – A 36-Year Retrospective. Part II, Glass-ceramics”.  International Journal of Applied Glass Science – Part II, 2013, in press.

 B.SBPMat: – Quais foram os principais fatores que o ajudaram a construir sua trajetória como pesquisador, agora destacada com o Prêmio Álvaro Alberto?

E.D.Z.: – Estenderei aqui o que já relatei em recente entrevista ao CNPq. Após retornar de um estágio industrial, já no último ano do curso de Engenharia de Materiais, fui agraciado com uma bolsa de iniciação científica (IC) sob a tutela do experiente professor visitante Osgood J. Wittemore, da Universidade de Washington. Esse outro ensaio foi fundamental para a minha contratação como professor auxiliar de ensino pela UFSCar, no próprio curso de Engenharia de Materiais, em dezembro de 1976. Naquela época eu era recém-formado, mas devido à carência de pessoal qualificado em Ciência e Engenharia de Materiais, fui contratado.
Então percebi que, para ter êxito na carreira acadêmica, era absolutamente necessário aprofundar-me em ciência, sem, entretanto, mudar-me de São Carlos (meu contrato com a UFSCar obrigava-me a ministrar aulas). Resolvi essa equação matriculando-me no curso de mestrado do então IFQSC, na USP de São Carlos, sob a orientação do competente professor Aldo Craievich. Concomitantemente com minhas atividades docentes na UFSCar, com muito esforço concluí e defendi a dissertação de mestrado no IFQSC-USP em um ano e meio. Por indicação de Aldo, fui aceito em 1979 por meu orientador de doutorado na Universidade de Sheffield, no Reino Unido, o famoso professor Peter James. Defendi a tese em 1982. Muito obrigado pela confiança, Aldo e Peter!
Nas duas décadas seguintes, com o auxílio de alguns colegas, continuamos a construção e o aparelhamento do LaMaV e do próprio DEMa-UFSCar com recursos da Fapesp, CNPq, Pronex, Capes e empresas. Foi também extrema sorte ter realizado educativos estágios sabáticos na Universidade do Arizona em 1987, na Universidade de Ferrara (Itália) em 1992, e na Universidade da Flórida Central em 2005, sob o competente comando de Michael Weinberg, Annamaria Celli e Leonid Glebov, respectivamente, com os quais mantive profícua colaboração durante vários anos. Os lugares não foram tão importantes; as pessoas, sim. Grazie mille, Anna. Thanks a lot, guys!
Nesse período realizamos vários projetos de pesquisa básica e tecnológica com auxílio de agências públicas e empresas.
Riquíssima e inesquecível foi a experiência de participar ativamente da Diretoria Científica da Fundação de Amparo e Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) durante a criativa e eficiente gestão do comendador José Fernando Perez, entre 1995 e 2005. Nesse período concebemos, implantamos e administramos, com sucesso, novos e paradigmáticos programas de fomento à pesquisa, que mudaram radicalmente o vigor e a visibilidade da ciência e tecnologia. Por exemplo, os programas Genoma, PIPE, Consitec, Nuplitec, CEPID, Scielo, a revista Pesquisa Fapesp e outros. Nessa educativa década tive a sorte de reunir-me semanalmente com o próprio Perez, e os competentes e espirituosos Coordenadores Adjuntos da Diretoria Científica: Antonio C. Paiva, Luiz Nunes de Oliveira, Francisco Coutinho, Rogério Meneghini, Walter Colli, Luis Eugenio Mello, Luiz Henrique Lopes dos Santos e Paula Montero (grupo carinhosamente batizado por Perez como a “Incrível Armada”!). Sou imensamente grato a vocês, meus caros, pela agradável convivência e os valiosos ensinamentos!
Finalmente, devo enfatizar que tive a ventura de selecionar e conviver com excelentes alunos e colaboradores do Brasil e do exterior, ao longo destes 36 anos. E sempre fico extremamente satisfeito quando encontro um aluno talentoso ou motivado, elemento fundamental para a evolução do sistema!
Portanto, minha carreira resultou da soma de todas essas atividades.

B.SBPMat: – Você coordena há mais de três décadas o Laboratório de Materiais Vítreos, que atrai cientistas do mundo todo. Comente como consegue manter um padrão internacional de excelência em seu grupo.

E.D.Z.: – A receita é simples, sua implementação nem tanto. Segue parte da estratégia que temos utilizado no LaMaV:
– Escolha um ou dois assuntos relevantes e desafiadores e aprofunde-se; permaneça um bom tempo com ele(s), não mude de tema frequentemente à busca de modismos;
– Ao pesquisador experimental (maioria): para otimizar o caro e trabalhoso processo de experimentação, estude a literatura, planeje, calcule ou simule antes de imergir no laboratório;
– Cerque-se de alunos e colaboradores competentes e motivados e, preferivelmente, bem-humorados!;
– Cuide e dê atenção aos seus alunos, pós-docs e colaboradores. A pesquisa experimental é quase sempre realizada por equipes;
– Participe dos melhores congressos internacionais sobre o seu tema favorito;
– Realize estágios periódicos em outros grupos/instituições comandados por pesquisadores experientes;
– Convide ao seu laboratório e conviva com colaboradores estrangeiros, eles trazem culturas distintas e quase sempre relevantes;
– Procure sempre uma retaguarda teórica, uma explicação para os seus resultados experimentais;
– Tenha muito cuidado com a redação de seus artigos científicos. Estude a literatura, escreva, reflita, releia e peça a opinião crítica de colegas competentes antes de publicá-los;
– Privilegie a qualidade (não a quantidade)!
Ah, também recomendo comemorar as bolsas e prêmios recebidos, defesas de tese, aniversários, e realizar um happy hour nas sextas-feiras…

B.SBPMat: – Gostaria de deixar alguma mensagem para nossos leitores que estão construindo suas carreiras de pesquisadores em Materiais, seja na academia ou na indústria?

E.D.Z.: – Se vocês não gostarem muito de pesquisa e ensino, e não estiverem dispostos a dedicar longas jornadas ao trabalho, recomendo procurar outra atividade!
Sejam fluentes em português e inglês, estudem e atualizem-se em Matemática, Física e Química. Sejam objetivos e econômicos. Cuidem desde cedo da saúde física e mental e, finalmente, sigam os conselhos do item anterior!
E basta, senão estes conselhos poderão causar um contraefeito…